Imagem Banner Imagem Banner

Vacinômetro

PRIMEIRA DOSE 1.569.961

Segunda dose e Dose única 1.498.717

Terceira dose 566.638

Quarta dose 2.261

Vacinas aplicadas em Curitiba

Cronograma da Vacinação

Calendário de Vacinação 28/01/2022

Primeira dose

A vacinação para crianças está suspensa nesta sexta (28/1)

Das 8h às 17h

Repescagem para pessoas com 12 anos ou mais

Das 8h às 17h

Segunda dose

Antecipação 2ª dose Pfizer para pessoas que tomaram a 1ª dose até 7/1

Das 8h às 17h

Pessoas que perderam a data da aplicação da 2ª dose agendada no app Saúde Já

Das 8h às 17h

Terceira dose

Pfizer, Astrazeneca e Coronavac: Pessoas que tomaram a 2ª dose até 22/9

Das 8h às 17h

Quarta dose

Imunossuprimidos vacinados com a 3ª dose até 30/9 e convocados no Saúde Já

Das 8h às 17h

Cadastre-se para aPrimeira Dose

1

Cadastro

Para facilitar o processo de vacinação, faça o seu cadastro no:
Saúde Já

2

Termo de Consentimento

O termo de consentimento pode ser levado no dia da vacinação:
clique aqui

Vacina Infantil

clique aqui
3

Documentação

Não esqueça de levar documento de identificação com foto, CPF, comprovante de residência com endereço válido de Curitiba e uma caneta.

Documento de identificação com foto

Podem ser apresentados a carteira de identidade (RG), Carteira Nacional de Habilitação (CNH), passaporte ou Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). No caso das crianças, se não houver documento com foto, é possível apresentar a certidão de nascimento junto a um documento com foto dos pais.

Comprovante de residência

No caso de o comprovante ser em nome do cônjuge, também é preciso apresentar um documento comprobatório da união; já se o comprovante de residência estiver no nome do pai ou da mãe, deve ser anexado um documento que comprove a filiação. Em casos de locações não formalizadas por imobiliárias, deverá ser apresentado o comprovante do endereço da residência junto com uma declaração do proprietário do imóvel, com responsabilização legal pela locação e pela informação.

Imagem
4

Documentos específicos para
Grupos Prioritários

Antecipação de vacinação por motivos de viagem ao exterior

Moradores de Curitiba com viagem marcada para o exterior que ainda não completaram o esquema vacinal contra covid-19 podem antecipar a segunda dose ou a dose de reforço, desde que cumpridos os critérios definidos pelo Ministério da Saúde.

O viajante deverá comprovar a ida a outro país com a apresentação de passagem em seu nome. A comprovação deverá ser feita diretamente no ponto de vacinação.

Segunda dose Pfizer ou AstraZeneca

A antecipação da segunda dose pode ser feita por pessoas com 12 anos ou mais a partir de 21 dias da primeira aplicação para quem recebeu o imunizante da Pfizer e 28 dias para quem recebeu o da AstraZeneca.

O viajante deverá apresentar no ponto de vacinação comprovante da ida a outro país com a apresentação de passagem em seu nome.

Dose de reforço da Pfizer ou AstraZeneca

Pessoas com 18 anos ou mais que receberam as duas doses da Pfizer ou AstraZeneca há mais de 120 dias e estão com viagem marcada para o exterior podem receber a dose de reforço, com apresentação de comprovante da passagem no ponto de vacinação.

Dose de reforço da Coronavac

Quem recebeu as duas doses de Coronavac há mais de 28 dias também pode receber a dose de reforço em caso de viagem comprovada para o exterior.

O reforço para este imunizante será feito com uma dose de Pfizer para quem for a países que não reconhecem a eficiência da Coronavac. Nesses casos, além da comprovação da viagem, deve ser apresentada no ponto de vacinação a comprovação de que o país não reconhece o imunizante do Butantan/Sinovac.

Dose de reforço da Janssen

Para o imunizante da Janssen, a recomendação do Ministério da Saúde é de que a dose de reforço seja da mesma marca.

Em caso de necessidade de viagem e falta da vacina em estoque, a SMS seguirá a regra da intercambialidade da vacina e fará o reforço com imunizante da Pfizer.

O que fazer para antecipar a vacina

O viajante que se enquadra no intervalo indicado entre 21 e 28 dias a depender do imunizante, deverá procurar um dos pontos de vacinação da cidade das 8h às 17h. Os endereços estão no site do Imuniza Já Curitiba.

É preciso apresentar documento de identificação com foto, CPF, comprovante de endereço e documentação que comprove a viagem (passagem aérea).

Viagem de carro

Aqueles que pretendem viajar para outro país de carro deverão apresentar, além dos documentos exigidos para a vacinação, o comprovante de reserva de hospedagem e um termo autodeclarado de responsabilidade legal pela veracidade das informações apresentadas. O termo está disponível aqui. 

Para todas as crianças

É necessário que a criança esteja cadastrada no Saúde Já e os pais podem fazer isso incluindo-a como dependente. O cadastro é necessário para que a vacina seja registrada no sistema eletrônico da Secretaria Municipal da Saúde e na carteira vacinal da criança. Esse cadastro também colabora para melhor fluxo da vacinação nas Unidades de Saúde, o que agiliza o fluxo da vacinação, permite incluir imediatamente a dose recebida na carteira de vacinação e estimar a data para a segunda dose.

No dia da vacinação é necessário que um familiar ou responsável acompanhe a criança para a assinatura do termo de consentimento. Deverão ser apresentados documento de identificação com foto e comprovante de residência em nome do responsável pela criança.

Criança acamada

As crianças de 5 a 11 anos acamadas em leitos atendidas pelo SUS Curitibano terão sua dose agendada a partir de um contato telefônico das equipes da SMS com os familiares*. 

As que estão acamadas e são atendidas pela rede privada podem informar esta condição à SMS via aplicativo do Saúde Já Curitiba (é necessário atualizar a versão do aplicativo nas lojas virtuais para plataformas Android ou iOS) ou pelo site.

Para as crianças dessa faixa etária que estão acamadas e atendidas em leitos da rede privada, pais e responsáveis vão poder notificar esta situação à SMS pelo Aplicativo Saúde Já Curitiba a partir desta sexta-feira (13/1) - basta baixar a atualização nas lojas de aplicativos para Android ou iOS – ou pelo site do Saúde Já, escolhendo a opção “Paciente Acamado”.  

*Vacinação extramuros: As equipes da SMS vão até os locais para a aplicação da primeira dose da Pfizer pediátrica

Criança com comorbidade

O público infantil com comorbidades (confira aqui a lista de comorbidades), inclusas para a priorização no Plano Nacional de Imunização e atendido pelo SUS, precisa estar cadastrado no Saúde Já e está recebendo, desde segunda-feira (17/1) a convocação para a vacinação, via mensagem no próprio aplicativo.

As crianças com comorbidades atendidas na rede privada devem apresentar declaração emitida pelo médico que os acompanha, segundo o modelo disponível para esses profissionais no site do CRM-PR.

Criança com deficiência permanente

Para os pequenos de 5 a 11 anos deste grupo, o familiar ou responsável deve apresentar documento que comprove essa condição, podendo ser:

- Cartão-transporte da Urbs de isento para Pessoa Com Deficiência Permanente (identificado com a letra "I" no canto superior direito)

- Identidade (RG) emitida a partir de 2019 com a indicação “Pessoa com Deficiência”

- Declaração pelo médico que acompanha a crianças, no modelo disponível a esses profissionais pelo site do CRM-PR, com a indicação da Deficiência Permanente. 

Como tomar aSegunda Dose

Fique atento
às datas

Acompanhe a data da segunda dose pelo Saúde Já, no aplicativo ou pelo site.

Não precisa
ter cadastro

Para a segunda dose não é necessário novo cadastro, leve um documento de identificação com foto, CPF.

Como tomar aterceira dose

Orientação para a terceira dose

Podem tomar a terceira dose pessoas com 18 anos ou mais que tenham tomado a segunda dose há 120 dias e imunossuprimidos que já completaram 28 dias ou mais da segunda dose, conforme a disponibilidade de doses.

É necessário aguardar a convocação para a terceira dose em nossos canais oficiais para se dirigir aos pontos de vacinação.

Os contemplados nos grupos convocados recebem uma mensagem pela plataforma Saúde Já (aplicativo ou site). A mensagem é uma forma de lembrete, não sendo obrigatória sua apresentação no ato da vacinação.

Para vacinar, é necessário apresentar um documento com foto e CPF.

Vacinação Infantil

Crianças que tiveram covid-19

Para vacinar crianças de 5 a 11 anos (tanto 1ª como 2ªdose ou reforço) que tiveram covid-19 é necessário aguardar um período mínimo de 30 dias após o início dos sintomas ou da testagem positiva para o vírus (teste Antígeno ou PCR detectável).

Vacina pediátrica

A vacina Pfizer pediátrica será em duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações e tem especificidades como como dosagem, composição, prazo de armazenagem, manejos para diluição e com orientação de insumos (seringas e agulhas) diferentes em relação ao imunizante para pessoas com mais de 12 anos. 
A vacina contra covid-19 para crianças tem dosagem e composição diferente a da que é utilizada para maiores de 12 anos, com duas doses de 0,2 ml.
A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação, familiares ou responsáveis que levarão as crianças para serem vacinadas.

Interação com outras vacinas

A vacina pediátrica da Pfizer contra a covid-19 não deverá ser administrada simultaneamente com outras vacinas. O intervalo deve ser de 15 dias.

Ampliação do calendário

À proporção que Curitiba receba novos lotes do imunizante pediátrico da Pfizer contra o coronavírus, a SMS amplia o calendário para a aplicação das doses nos grupos de crianças sem comorbidades, escalonando em ordem decrescente de idade (de 11 para 5 anos).
A programação do dia para a vacinação pode ser conferida no site Imuniza Já e as convocações são enviadas para o login do Aplicativo Saúde Já Curitiba em que a criança foi cadastrada (como dependente ou titular).

Inclusão de dependente no Saúde Já

Com o cadastro ativo, basta acessar a página inicial e abrir, na seta para baixo, o campo de detalhes do titular do cadastro. Nessa área, também está o campo “Dependentes”. Nessa área, basta clicar no círculo à esquerda para incluir um novo dependente, informando o CPF ou número do Cartão SUS e a data de nascimento.

Carteira de Vacinação

A carteira de vacinação da criança não é obrigatória ser apresentada no dia do recebimento da dose contra a covid-19. O registro é feito diretamente no sistema eletrônico da SMS, o e-saúde e atualizado na carteira vacinal que pode ser consultada no Aplicativo Saúde Já Curitiba, na aba “Carteira de Vacinação” e, em seguida, escolhendo a opção “Imprimir Carteira de Vacina”.

Calculadora Segunda Dose

Cadastre-se

No smartphone, busque por “Saúde Já Curitiba” nas lojas virtuais (Play Store para aparelhos com sistema Android, e App Store para os que utilizam o sistema iOS). Instale ou atualize o app.

No primeiro acesso, informe o número do CPF ou Cartão do SUS. A primeira senha é sua data de nascimento, no formato "DD/MM/AAAA”.

Pessoas que já tenham passado por algum atendimento no SUS Curitibano, já terão as informações na base de dados, não precisarão preencher novamente, basta conferir seus dados.

Para aqueles que não tiverem os dados cadastrados, na tela inicial clicar na opção “Cadastre-se aqui” o próximo passo é informar um CEP válido em Curitiba, preencher informações pessoais e de contato.

Vacinas aplicadas emCuritiba

Astrazeneca

Coronavac

Pfizer

Jansen

Locais de Vacinação

Locais disponíveis:

Clique em um endereço para ver no mapa.

MAPA

A vacina pode causarefeito colateral?

Sim, como qualquer medicamento, a vacina pode apresentar efeitos colaterais.

Os mais comuns são febre, dor, vermelhidão e inchaço no local da aplicação.

O que devo fazer?

Coloque apenas compressas frias no local da aplicação.

Não coloque compressas quentes;
Não aplique cremes ou pomadas;
Não aplique curativos;
Não coce o local.

Caso apresente nos 7 primeiros dias após a vacinação sintomas de alergia, náuseas, vômitos, diarreia, fraqueza, formigamentos, sintomas de covid-19 (febre, dor de garganta, coriza, falta de ar), ligue para a Central de Atendimento: 3350-9000

MESMO VACINADO OSCUIDADOS CONTINUAM

A vacina não impede a circulação do vírus. Mesmo estando protegida da forma mais grave da doença, uma pessoa vacinada pode transmitir o vírus para outras pessoas.

Use máscara

Mantenha distanciamento social

Lave as mãos

Imagem Fake News

Não espalhe fake news

Não espalhe boatos ou notícias sem checar as fontes.
Para se manter informado sobre a campanha de vacinação e o combate ao coronavírus, busque sempre os canais oficiais da Prefeitura de Curitiba.


Informações coronavírus: coronavirus.curitiba.pr.gov.br

Perguntas Frequentes:

O maior benefício que qualquer vacina oferece é diminuir drasticamente as chances de complicações e morte decorrentes da infecção. Esse também tem sido o maior efeito das vacinas contra covid-19. A imunização também contribui para a redução da circulação do novo coronavírus, diminuindo as chances de surgimento de novas variantes do SARS-CoV-2. A expectativa é que esse efeito ocorra quando, no mínimo, 70% da população esteja vacinada, o que é conhecido como “imunidade coletiva”.

Curitiba recebe e aplica as quatro vacinas contra a covid-19 aprovadas até o momento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): CoronaVac (Sinovac/Butantan), AstraZeneca (Oxford/Fiocruz), Pfizer (Pfizer/BioNTech) ou Janssen (Jonhson & Jonhson).

Não. A vacina aplicada será a que estiver disponível no ponto de vacinação, de acordo com as doses enviadas pelo Ministério da Saúde, sem possibilidade de escolha. Todas as vacinas têm eficácia comprovada e chegam em lotes de diferentes laboratórios alternadamente.

Não. A vacinação visa proteger o organismo de versões agudas da doença provocada pelo vírus, evitando internações e mortes. Os quatro imunizantes apresentaram bons resultados para este objetivo. A imunização também contribui para o controle da pandemia, com a imunidade coletiva da população.

Não há uma vacina melhor que outra. Os quatro imunizantes são eficazes contra covid-19 e aprovados pelo a Anvisa, avaliadas com critérios técnicos rigorosos.

A comparação dos índices de eficácia não faz sentido, visto que essa taxa foi mensurada sob quesitos distintos. Cada laboratório testou sua vacina em grupos diferentes de pessoas, em locais e datas diferentes, com de riscos de contaminação, tornando a comparação das taxas equivocada.

Estudos já publicados pelos laboratórios sobre a eficiência dos imunizantes em relação às novas variantes do vírus SARS-CoV-2 apontam bons resultados em relação a redução de casos graves da doença. Porém, em alguns casos, se mostraram menos eficientes em relação à transmissão do vírus.

Um dos fatores que favorece o surgimento de novas variantes do vírus é a alta circulação dele entre a população. Mais um motivo importante para se imunizar com as vacinas desenvolvidas ate o momento.

A proteção não é imediata. A vacina oferece proteção ao provocar no organismo uma resposta imunológica contra o novo vírus e isso leva algum tempo. É necessário aguardar pelo menos 14 dias após a segunda dose para a máxima proteção.

Ainda não se sabe. As vacinas aplicadas no mundo todo são ainda de caráter emergencial. Para determinar a eficácia de duração dos imunizantes é preciso o pesquisar os vários grupos vacinados e verificar a eficácia em longo prazo.

As Variantes

O Coronavírus tem grande potencial de mutação: ele se adapta a novos ambientes e se torna mais transmissível. Até o momento, 4 tipos de variantes foram identificadas no mundo: da Índia, do Reino Unido, da África do Sul e do Brasil. Por isso, vacinado ou não, é essencial que você continue se cuidado e seguindo as regras sanitárias.

Estoque de vacinas

O Plano Nacional de Imunização Contra a Covid-19 recomenda 5% de reserva técnica, prevendo uma perda operacional, que pode ocorrer por diversos motivos, como quebra de frasco, problemas no transporte ou no acondicionamento das vacinas.

Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde mantém outro estoque para garantir a imunização de pessoas remanescentes dos outros grupos.

Atendimento